INSUMOS PARA AS 6 REFEIÇÕES DIÁRIAS – CEIA (22H)

A sexta e última refeição do dia é a ceia, que eu faço às 22 horas. Nesta refeição vou dar uma de inglês, e também em homenagem a minha mãe, que não dormia sem tomar o seu chá com torradas. Tenho um utensílio que é muito prático para aquecer água no quarto em que durmo. Um ebulidor ou rabo quente (220 volts) que ferve a água em poucos minutos.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Chá desidratada1 saquinhoR$ 0,30
2Água mineral1 canecaR$ 0,32
3Torradas Bauducco1 fatiaR$ 0,15
TOTALR$ 0,77

A ceia custa em torno de R $0,77 reais por dia, com o custo mensal de R $23,10. O custo mensal acumulado das seis refeições é de R $538,20.

A comida é meu maior gasto. Mas sem dúvida o mais importante, pois nossa saúde física e até mental depende do que comemos. Portanto nunca penso que é um gasto e sim um investimento. Não esqueço nunca de tomar água, bebo quase 2 litros por dia.

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

INSUMOS PARA AS 6 REFEIÇÕES DIÁRIAS – JANTAR (19H)

A quinta refeição é o jantar, que eu faço às 19 horas. Adoro sopa, caldos e cremes, que acompanho com croutons (croûton), que são aquelas mini torradas da culinária francesa, que coloco sobre as sopas.

No jantar posso utilizar as sopas desidratadas de pacote ou fazê-las na cozinha da casa em que moro. Sempre é mais saudável aquela que nós mesmos fazemos com produtos frescos e cozida em fogo baixo.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Sopa desidratada2 colheresR$ 1,62
2Água mineral1 canecaR$ 0,32
3Torradas Bauducco 2 fatiasR$ 0,30
TOTALR$ 2,24

O jantar custa em torno de R $2,24 reais por dia, com o custo mensal de R $67,20. 

Na postagem do dia 16 de julho de 2021, sexta-feira, vou falar sobre a ceia, que normalmente faço às 22 horas. 

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

AS 6 REFEIÇÕES DIÁRIAS – ALMOÇO (13H)

A quarta refeição é o almoço, que eu gosto de comer por volta das 13 horas. Esta refeição pode ser feita por mim, quando tenho acesso a cozinha da casa em que moro. Como adoro a culinária italiana, lembrando do meu bom amigo Octavio, vou conviver diariamente com muitos tipos de massas: Espaguete, Linguine, Talharim, Fettucine, tagliatelle e pappardelle, Bucatini (macarrão furadinho), Penne, Rigatoni, Fusili (macarrão parafuso), Farfalle (gravatinha), Chifferi (caracol), Ravioli (massa recheada), Capeletti e Tortellini (Massa recheada). Vixi massa que não acaba mais!

Também gosto de comprá-la de um fornecedor local, que faz marmitas ou um restaurante com buffet. Procuro sempre comer como um vegetariano, mas algumas poucas vezes como peixe.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Refeição vegetariana e peixe1 marmitaR$ 8,50
2Água mineral1 canecaR$ 0,32
TOTALR$ 8,82

O almoço custa em torno de R $8,82 por dia, com o custo mensal de R $264,60. 

Na próxima postagem, dia 15 de julho de 2021, quinta-feira, vou falar sobre o jantar, que é a minha quinta refeição do dia.

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

AS 6 REFEIÇÕES DIÁRIAS – OS LANCHES DA MANHÃ (10H) E DA TARDE (15H)

Por serem refeições complementares vou colocar duas na mesma postagem, o lanche da manhã e da tarde. No Lanche da manhã, às 10 horas, eu como uma ou duas frutas da estação; banana, bergamota, caqui ou dióspiro, kiwi, maçã, além de nutritivas são bem frescas e geralmente com bom preço.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Banana e bergamota2 unidadeR$ 1,33
2Água mineral1 canecaR$ 0,32
TOTALR$ 1,65

O lanche da manhã custa em torno de R $1,65 reais por dia, com o custo mensal de R $49,50. 

O lanche da tarde, eu faço no meio da tarde entre as 15 e 16 horas.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Café Nescafé2 colheresR$ 0,27
2Açúcar mascavo1 colherR$ 0,07
3Requeijão cremoso2 colheresR$ 0,38
5Torradas Bauducco2 fatiasR$ 0,30
6Água mineral1 canecaR$ 0,32,
TOTALR$ 1,00

O lanche da tarde custa em torno de R $1,00 reais por dia, com o custo mensal de R $30,00. 

Na postagem do dia 14 de julho de 2021, quarta-feira, vou falar sobre o almoço, que normalmente faço até as 13 horas.

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

AS 6 REFEIÇÕES DIÁRIAS – CAFÉ DA MANHà(7H)

Acrescentei dois novos utensílios para facilitar as refeições no quarto em que moro, um ebulidor elétrico, conhecido como rabo quente (220 volts), que ou posso ferver água em poucos minutos e uma caneca esmaltada, segue abaixo a descrição dos insumos gastos, as quantidades e custos utilizados.

Eu utilizo, para minhas “receitas” de um sistema bem fáceis com cinco medidas, sempre tive dificuldades, com medidas como peso (grama, quilo), volume (ml, litro), pois preciso de um utensílio para medir (balança , medidor): 1) Colher de bambu, para medir a quantidade utilizada de requeijão, açúcar, granola, sopa desidratada, 2) Caneca esmaltada cheia a um dedo da borda, que utilizo para líquidos, 3) Unidade de frutas, 4) Fatia no caso de queijo e torrada e 5) os saquinho de papel de chá

Vamos começar pelo Café da manhã ou pequeno almoço, como nós dissemos em Portugal, eu normalmente faço esta refeição bem cedo, às 7 horas da manhã.

ItensDescriçãoQuantidadeValor
1Açúcar mascavo1 colherR$ 0,07
2Leite1 canecaR$ 1,00
3Granola natural2 colheresR$ 0,36
4Queijo mussarela2 fatiasR$ 1,75
5Torradas Bauducco2 fatiasR$ 0,30
6Água mineral1 canecaR$ 0,32,
TOTALR$ 3,46

Nesta semana vou comer pela manhã, leite frio, com granola e açúcar mascavo. torradas com fatias de queijo mussarela e um bom copo de água mineral. Mudo o cardápio toda a semana, alterando o leite por café preto e a torrada por pão fresco, como exemplo. O café da manhã custa em torno de R $3,46 reais por dia, com o custo mensal de R $103,80. Minha previsão é gastar uns R $550,00 mensais com as 6 refeições por dia.

Na postagem do dia 13 de julho de 2021 vou falar sobre os dois lanches diários, o da manhã (às 10 horas) e o da tarde (às 16 horas).

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

ALIMENTAÇÃO – FAZER SOPA E CHÁ NO QUARTO

Nesta semana, terça-feira dia 6/7/2021, fiz uma postagem com a introdução a alimentação a falar dos utensílios e insumos utilizados para fazer as minhas refeições. 

Apesar de pouco tempo de prática na “cozinha” do Andante Digital percebi que precisava fazer algumas pequenas modificações na lista de utensílios e por consequência dos insumos. As modificações são a saída dos canudos (palhinhas) e seu limpador metálico no grupo de uso Comer (Alimentar). Os utensílios para alimentação, da direita para esquerda, passam a ser:   01) Marmita de inox com tampa, 02) uma caneca esmaltada, 03) Ebulidor elétrico (rabo quente), 04) Garrafa de metal (Squeeze), 05) Conjunto de talheres de bambu (garfo, colher, faca e hashi) com bolsa de tecido.

A lista dos insumos, você vai poder ver na postagem do dia 12 de julho de 2021.

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

UMA MANEIRA EMERGENCIAL DE LAVAR AS MINHAS ROUPA

Hoje vou mostrar uma opção para lavar minhas roupas. As cuecas e meias lavo todos os dias no banheiro do quarto onde moro. Para lavar as calças, camisetas e suéter, eu posso usar o tanque e/ou a máquina de lavar roupa da minha moradia (melhor custo-benefício) ou nas lavanderias de self service.

Estas últimas, são as lavanderias de autosserviço, que você mesmo lava e seca as suas roupas. Normalmente elas só existem nas cidades médias e grandes. Por exemplo, em Morro Reuter (6.513 habitantes) não tem nenhuma, mas já em São Leopoldo (238.648 habitantes), ambas no Rio Grande do Sul, tem algumas opções.

Procurei no Google e achei duas na mesma rua do restaurante (Villa D’Assisi) dos meus amigos,  Liane e Chico. A Fast Clean Lavanderia com os preços para 7 quilos de roupa, R $22,00 para lavar e R $14,00 para secar e a outra a Lavanderia Up Clean, para 10 kg de roupas, R $19,00 para lavar e R $19,00 para secar, os preço são da internet. Vou visitar as duas e escolher a com menor custo benefício. 

Escolhi a Up Clean, que está instalada em um contentor marítimo de 20 pés e é totalmente automatizada, para uso de cartão de crédito/débito para o fazer o pagamento. O tempo de espera é de 35 minutos para lavar e 45 minutos para secar. 

O maior “problema” deste tipo de lavanderia é o preço. Mas ainda é bem mais em conta do que uma lavanderia tradicional que cobra por peça. Como só tenho roupas para uma semana, teria de lavá-las quatro vezes por mês a um custo total de R $152,00 mensal. Sem dúvida muito dispendioso para o meu orçamento de um salário mínimo brasileiro mensal (R $1.100,00). Só poderia usá-la em situação que não consiga lavar em casa, por uma razão de  emergência, máquina de lavar roupa quebrada sem água, ou ainda no caso que esteja em viagem.

Como já estava ficando sem roupa e a máquina de lavar roupa da casa que eu moro está quebrada, foi a solução encontrada.

Roupa e Imagens: Carlos Pojo Rego

ANDANTE DIGITAL – UMA OUTRA OPÇÃO, MORAR EM MORRO REUTER

Sábado cedo, às sete horas da manhã, peguei o ônibus para Morro Reuter, RS, a sair da rodoviária de São Leopoldo. Fica a pouco menos de 31 km, em apenas 35 minutos estava a praça da cidade. Um município com as características que eu busco para morar, pequeno, uma população estimada em 2020 (IBGE) de 6.513 pessoas, com 70% na zona urbana.

A cidade é uma graça, limpa e organizada, com um pequeno comércio que fecha na hora do almoço, entre as 12h00 e 13h30 de segunda a sexta. Tem um mini banco do Bradesco e uma máquina como a de passar cartão, em uma florista, que tira dinheiro do Banco do Brasil. Agência de banco mesmo só o Banrisul.

Foi com uma dica do meu amigo Chico, sobre a pessoa que tinha um lugar para alugar. Quando cheguei me deparei com uma linda casinha completa, cheia de móveis antigos, livros, quadros, com lavanderia, cozinha, sala, quarto e banheiro. E para o frio no inverno, mesmo no começo da Serra Gaúcha (600 metros), tem um ótimo sistema de calefação.

Gostei muito da casinha, mas a senhora não tinha ainda o preço por mês, estava sendo alugada por diárias no aplicativo Airbnb. Mas o mais incrível é a disposição, lucidez do casal proprietário,  ele médico pediatra com 94 anos e ela “elétrica”, professora universitária com apenas 90 anos. 

Para mim a casinha é perfeita, tem internet e fica num morro, distante uns 2 km do centro da cidade. Está numa floresta com muitas araucárias, aqueles pinheiros típicos da região, mais uma linda vista de várias cidades no horizonte, Dois Irmãos, Novo Hamburgo, São Leopoldo e que vai até Porto Alegre, que fica a 65 km da casa.  

Fico no aguardo do valor do aluguel para pegar as minhas duas mochilas e ser morroreutense. Dei mais um passo para “virar” gaúcho de vez, comprei um chip 51 para o meu celular (telemóvel). Mas bá tchê…

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

ALIMENTAÇÃO DO ANDANTE DIGITAL

ALIMENTAÇÃO DO ANDANTE DIGITAL

A alimentação é sem dúvida, o item mais importante, pois viabiliza termos uma vida balanceada e saudável. Vou fazer 6 refeições por dia, uma a aproximadamente a cada três horas, as três principais: pequeno almoço (café da manhã), almoço e jantar. Mais três complementares; lanche da manhã, lanche da tarde e ceia

Além dos insumos necessários para preparar as refeições, vamos precisar de alguns poucos utensílios (transportados na mochila de 30 litros). A ideia é usar a cozinha da casa em que vou alugar o quarto, para fazer quatro refeições e fazer o almoço em um restaurante ou um fornecedor de marmitas. Também o pequeno almoço (café da manhã) poderá ser feito em uma padaria. Estes utensílios são: 1 marmita metálica com tampa de pressão. 1 garfo, 1 faca e 1 colher), 1 canudo (com limpador metálico), 1 par de hashi (pauzinhos japoneses) todos de bambu, 1 saco de tecido para guardá-los e 1 garrafa de metal para todos os líquidos que consumo (água, leite e sucos) que serve também como copo. Como vou utilizar a cozinha da casa em que alugo o quarto, com a vantagem de não necessitar ter nenhum equipamento, como fogão, geladeira, etc. ou utensílios tipo panelas, facas e outros, para preparar as minhas refeições diárias. 

Fiz a opção pelo vegetarianismo, sem carne de qualquer espécie (branca ou vermelha), mas comendo proteína animal; ovos, leites, queijos, mel. Meu sonho é ser vegano, sem qualquer consumo de derivados animais. Além de conter a violência contra eles, faz muito bem para o planeta e para a nossa saúde.

Os nutricionistas recomendam seis refeições ao dia, aproximadamente de 3 em 3 horas. Nunca se esqueça de beber de 1,5 a 2 litros de água por dia, no mínimo.

Segue uma ideia dos alimentos que vou degustar nestas seis refeições diárias:

  1. 07h00 – Café da manhã (pequeno almoço): 1 copo de café puro, 1 fatia de pão integral, 1 fatia de queijo, 1 pote de iogurte natural com um punhado de nozes ou com granola com leite e 1 ovo.
  2. 10h00 – Lanche da manhã: 1 fruta da estação (laranja, bergamota, morango e acerola).
  3. 13h00 – Almoço: 1) Hortaliças (Verduras e Legumes) 50% do prato, Podem ser consumidas cruas, assadas, refogadas ou grelhadas. Alimentos desse grupo: cenoura, berinjela, abobrinha, tomate, folhas e brócolis. 2) Cereais e batatas 25% do prato. Algumas opções: Arroz, milho, quinoa e macarrão; 3) Leguminosas ou último 25% do prato. São as: Feijões, lentilhas, ervilhas, grão-de-bico, soja e tofu (queijo de soja).
  4. 16h00 – Lanche da tarde: 1 fatia de queijo com 2 bolachas.
  5. 19h00 – Jantar: Sopas, caldos e cremes com croûtons (pão torrado e cortado em pequenos cubos) e/ou queijo parmesão ralado.
  6. 22h00 – Ceia: Chá com 2 biscoitos.

Nota: Estou pensando em abrir mão do canudo (palhinha) de bambu, seu limpador metálico e os dois pauzinhos do hashi. Acredito que posso viver muito bem sem eles.

Voltaremos a falar sobre a alimentação apresentando receitas todas as semanas, nas próximas postagens.

Fontes e Imagens: Presunto Vegetariano, Receiteria

ANDANTE DIGITAL – BUSCANDO UMA CIDADE PARA MORAR

Na quinta-feira, estive o dia todo em Picada Café no Rio Grande do Sul, estava a procurar uma cidade na serra Gaúcha, para ser a primeira parada deste nômade digital. Estive com algumas pessoas que me deram dicas para encontrar o meu “lar” temporário. No posto de combustível da gaúcha Ipiranga, Fiquei concentrado na aula de inglês, com dois dos meus seis filhos via internet, éramos três pessoas, uma filha na Suíça, um filho em Brasília e eu em Picada Café, distantes entre si por milhares de quilômetros, mas o fato estarmos naquele bate papo tão gostoso, mostra uma realidade que ainda me surpreende. Viva a tecnologia do bem. Depois fiquei a perguntar se alguém conhecia pessoas que alugavam quartos ou kitnet na cidade.

Indicado pelo senhor com cara de italiano, num mundo onde só se vê caras de alemães, acabei chegando a uma antiga casa no centro da cidade. Lá falei com uma senhora, que aparentava uns 90 anos, ela me disse que todos os dois quartos estavam alugados. A idosa e mais uma senhora mais jovem acompanhada por sua inseparável vassoura preste a começar a limpeza do chão, mas, que durante todo o tempo que lá estive, nunca aconteceu, A senhora com sua vassoura é que comandava o “inquérito” sobre o que eu ia fazer em Picada, para quem eu trabalhava, quanto tempo eu ia ficar, de onde eu vim, etc e tal. Isso felizmente não durou muito tempo, elas sugeriram ir à única pousada da cidade na beira da estrada para Gramado. Nem fui à pousada, pois já a conhecia, e sua diária estava fora do meu orçamento de moradia temporária. Fiquei sem teto…

Voltei, de ônibus, para São Leopoldo, para a casa dos meus amigos. Amanhã volto a procurar um lugar para morar, vai ser numa cidade próxima, Morro Reuter. Através da prima de um amigo meu Leopoldense, encontrei um contato para uma kitnet. Vamos lá …