A TERCEIRA MANEIRA DE VIVER COMO ANDANTE DIGITAL

Foto de Matthew DeVries no Pexels

A terceira maneira é em uma casa com rodas, uma van ou motorhome, serve para todas categorias e idades de pessoas; solteiros, casados, com ou sem filhos (idade escolar ou não). Está, sem dúvida, que proporciona a maior mobilidade,principalmente para quem trabalha online. Os casais com filhos em idade escolar, têm que providenciar uma solução com ensino a distância.

Todas as três etapas com pequenos ajustes servem para todos em qualquer idade. Faço a primeira etapa e tenho 72 anos de idade.

VIAJAR SOZINHA NA AMÉRICA DO SUL, COM 80 ANOS

Hoje vejo como iria facilitar para um nômade digital “levar” a sua própria casa, como o caracol. Os aluguéis por temporada nas pequenas cidades são muito caros e imóveis para alugar por mais tempo, mínimo seis meses, tem várias garantias. Sobram os quartos em casas de família, cada vez mais raros hoje em dia. Além do fato que tu és, sempre olhado como um aventureiro pelos habitantes locais. 

Estou vivendo esta experiência com 71 anos. Adorei essa bisavó argentina, Sara Vallejos, que começou a sua “aventura” com 80 anos e, ao longo desses dois anos, já rodou quase 100 mil quilômetros.

Sara vendeu sua casa e seu carro e comprou um motorhome para realizar o sonho de viajar pela América do Sul por terra, sem destino pelo continente e sozinha. Até os seus 44 anos fez tudo igual à maioria das mulheres da sua época, casou  jovem, teve três filhos, cuidou deles e do marido, educou, cozinhou e passou suas roupas. Mas os filhos cresceram,  foram para a universidade e depois de 45 anos casados ela se separou. Ficou sozinha.

Sara foi à luta, se formou na faculdade em inglês, arrumou um emprego como professora na província de Tucumán. Aposentou em 2012, a partir daí, ela fez de tudo: viajou, montou um restaurante em sua casa, uma livraria móvel e delivery de comidas.

Depois disso, surgiu a ideia de viajar pela América do Sul de motorhome. A expedição começou pelo Uruguai e depois Sara veio para o Brasil, percorreu de ponta a ponta. Na maioria do tempo ela viaja sozinha, mas busca amigos e caronas pelo caminho.  Mas não cede o volante a ninguém.

Sara aprendeu a viver de forma simples e desapegada de bens materiais porque no motorhome só cabe o necessário, nada extra.
Fontes e Imagens: Infobae, Esse mundo é nosso

COMO VIVER EM UMA VAN E VIAJAR O TEMPO TODO?

Lendo o meu livro do mês, “Nomadland”, escrito pela jornalista Jessica Bruder, um livro que eu adorei do começo ao fim, pois, tem a ver com a fase atual de minha vida, de viver como o Andante Digital – Viajar e Trabalhar de maneira permanente pelas cidades do Brasil e do Mundo. Jessica fala na página 86 que Linda, a protagonista do livro, descobre um sítio (site) na internet cheaprvliving.com, escrito por Bob Wells, que prega o anticonsumismo de “viver feliz com menos”.  

Bob escreve no seu blog, “A chave é eliminar a maior despesa que a maioria de nós temos, nossa moradia. Ele passou a morar numa van (carrinha) pelos últimos 25 anos.  O blog responde perguntas e sugere opções de veículos e acessórios para se viver em “casas com volantes” Uma das perguntas mais frequentes é: “Mas como posso pagar para viver em uma van (carrinha) e viajar o tempo todo? “Bob tem a resposta na ponta da língua: “Como você pode se dar ao luxo de não fazer isso?” 

E na primeira página do seu blog coloca uma tabela com dois orçamentos (um de 500 dólares americanos por mês e outro de 1.000 dólares americanos por mês), eles mostram quão pouco dinheiro você precisa para viver e viajar em tempo integral. 

$500 p/ mês$1.000 p/ mêsDescrição dos itens
$50$150Poupança para manutenção de veículos, reparos e dias chuvosos. Os problemas são inevitáveis, então é melhor guardar e se preparar.
$150$175Alimentação, obviamente você não precisa comer fora várias vezes, mas sempre deve comer bem.
$50$50Seguro do veículo. Este valor é apenas uma estimativa, pois existem muitas variáveis.
$50$75Telemóvel (celular) e acesso a Internet
$150$300Combustível. Com o aumento constante dos combustíveis, você terá de viajar menos. Pare e cheire as rosas! 
$25$150Itens diversos
$25$100Lazer
$500 Total$1.000Total

Como eu falei no começo dessa postagem ao viver em seu veículo, você economiza no aluguel, no pagamento da hipoteca ou no empréstimo da sua casa. Que sem dúvida é a maior despesa do seu orçamento doméstico.

Bob, também explica, de uma forma bem simples, como você pode trabalhar um tempo e assim que juntar algum dinheiro começa a sua viagem. Ou podemos passar vários meses em um lugar e depois viajar vários meses. Quando você precisar trabalhar novamente, você consegue um emprego para lavar pratos em um hotel. Você passa os fins de semana de verão fazendo caminhadas e tirando fotos. Três meses depois, você está livre novamente. 

Se você tem uma profissão mais técnica, e com acesso à Internet, muitos trabalhos tradicionais podem ser feitos remotamente enquanto você viaja. Existem muitos livros e sites com uma grande seleção de ideias.

Já pensei numa segunda etapa do Andante Digital. Que vou fazer a opção de morar numa carrinha (van) e viajar com o dinheiro que recebo da minha aposentadoria, mais trabalho remoto pela internet. Aliás meu “sonho” seriam duas carrinhas, uma no Brasil (6 meses) e outra em Portugal (6 meses).

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego, Homes on Wheels

COMO É DIFÍCIL VIAJAR NO BRASIL

Estou querendo ir a dois lugares: um no Rio Grande do Sul e outro em Santa Catarina. O primeiro é Cambará do Sul para conhecer o Cânion de Itaimbezinho, no Parque Nacional de Aparados da Serra, e outro é ver os saltos gigantes  das encantadoras baleias Franca nos seus rituais de acasalamento. Em Garopaba, um dos melhores lugares para avistá-las.

As baleias ficam para o mês que vem. Nesse mês vou para os paredões verticais de Itaimbezinho com seus 700 metros de profundidade. Como não tenho mais carro, faço minhas viagens de ônibus. Pela pandemia ou não, os horários de ônibus são poucos e desencontrados, praticamente impossibilitando viajar os 163 km entre São Leopoldo, que eu estou, até Cambará do Sul em um único dia. Fiz várias pesquisas no Google e não consegui fechar o roteiro. 

Uma opção era alugar um carro em São Leopoldo e viajar para o cânion. Consegui uma empresa que alugaria por duas diárias (24 horas), seguro, quilômetros rodados, seguro e combustível por R $435,00. Mais as refeições e hospedagens totalizam R $620,00.

Outra seria ir através de uma agência de viagem, o primeiro orçamento foi R $750,00 mais a hospedagem de dois dias. Muito caro para o meu orçamento. Vou continuar procurando para poder ir a um lugar tão bonito. Ou vou de ônibus até São Francisco de Paula e de lá vou, “ainda não sei como”, para o meu passeio.

O turismo no Brasil é uma grande tragédia. Sem dúvida é por isso que só temos 6,3 milhões de turistas estrangeiro por ano, só a cidade de Buenos Aires na Argentina tem como visitantes a metade do número de turistas que vêm para todo o Brasil. Muito triste.

Opá … parece que tem novidades. Através de uma dica da Victória, a bonita filha dos meus amigos Liane e Chico. Ela me falou numa agência, a Triptri de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, que fazia o roteiro que eu queria, em grupo, tipo bate e volta, 1 dia para ver o cânion. Bem, entrei no site e pimba – o ônibus passa por São Leopoldo, me pega num posto de gasolina e eu pago R $89,90, já comprei uma para o dia 24/07, sábado.

Acho que vi uma fraca luz no final do túnel. Sou um eterno otimista …

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

UMA VEZ POR ANO VISITE UM LUGAR QUE NUNCA ESTEVE

Viajar é a melhor maneira de aumentar seu conhecimento e cultura, compreeder diferentes maneiras de viver e descobrir a sua paixão. Vi num site os 40 lugares no mundo que temos de viajar pelo menos uma vez na vida.

Fiz uma lista com os dez que mais me tocaram:Na América latina:
1. Salar de Uyuni na Bolívia;
2. Baloiço do fim do mundo em Baños no Equador;
3. Cuatro Cienegas no México;
Na Europa:
4. Campos de lavanda na França;
5. Stonehenge na Inglaterra;
6. Campos de tulipas na Holanda;
7. Rota Trollstigen na Noruega;
Na Ásia:
8. Templo de Angkor Wat no Camboja;
9. Festival das lanternas em Chiang Mai na Tailândia;
10. Campos de Arroz no Vietnã;

E boas viagens para nós todos.

Fontes e Imagens: Viajero Peligrino