ALIMENTAÇÃO – FAZER SOPA E CHÁ NO QUARTO

Nesta semana, terça-feira dia 6/7/2021, fiz uma postagem com a introdução a alimentação a falar dos utensílios e insumos utilizados para fazer as minhas refeições. 

Apesar de pouco tempo de prática na “cozinha” do Andante Digital percebi que precisava fazer algumas pequenas modificações na lista de utensílios e por consequência dos insumos. As modificações são a saída dos canudos (palhinhas) e seu limpador metálico no grupo de uso Comer (Alimentar). Os utensílios para alimentação, da direita para esquerda, passam a ser:   01) Marmita de inox com tampa, 02) uma caneca esmaltada, 03) Ebulidor elétrico (rabo quente), 04) Garrafa de metal (Squeeze), 05) Conjunto de talheres de bambu (garfo, colher, faca e hashi) com bolsa de tecido.

A lista dos insumos, você vai poder ver na postagem do dia 12 de julho de 2021.

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

ANDANTE DIGITAL – UMA OUTRA OPÇÃO, MORAR EM MORRO REUTER

Sábado cedo, às sete horas da manhã, peguei o ônibus para Morro Reuter, RS, a sair da rodoviária de São Leopoldo. Fica a pouco menos de 31 km, em apenas 35 minutos estava a praça da cidade. Um município com as características que eu busco para morar, pequeno, uma população estimada em 2020 (IBGE) de 6.513 pessoas, com 70% na zona urbana.

A cidade é uma graça, limpa e organizada, com um pequeno comércio que fecha na hora do almoço, entre as 12h00 e 13h30 de segunda a sexta. Tem um mini banco do Bradesco e uma máquina como a de passar cartão, em uma florista, que tira dinheiro do Banco do Brasil. Agência de banco mesmo só o Banrisul.

Foi com uma dica do meu amigo Chico, sobre a pessoa que tinha um lugar para alugar. Quando cheguei me deparei com uma linda casinha completa, cheia de móveis antigos, livros, quadros, com lavanderia, cozinha, sala, quarto e banheiro. E para o frio no inverno, mesmo no começo da Serra Gaúcha (600 metros), tem um ótimo sistema de calefação.

Gostei muito da casinha, mas a senhora não tinha ainda o preço por mês, estava sendo alugada por diárias no aplicativo Airbnb. Mas o mais incrível é a disposição, lucidez do casal proprietário,  ele médico pediatra com 94 anos e ela “elétrica”, professora universitária com apenas 90 anos. 

Para mim a casinha é perfeita, tem internet e fica num morro, distante uns 2 km do centro da cidade. Está numa floresta com muitas araucárias, aqueles pinheiros típicos da região, mais uma linda vista de várias cidades no horizonte, Dois Irmãos, Novo Hamburgo, São Leopoldo e que vai até Porto Alegre, que fica a 65 km da casa.  

Fico no aguardo do valor do aluguel para pegar as minhas duas mochilas e ser morroreutense. Dei mais um passo para “virar” gaúcho de vez, comprei um chip 51 para o meu celular (telemóvel). Mas bá tchê…

Fontes e Imagens: Carlos Pojo Rego

ALIMENTAÇÃO DO ANDANTE DIGITAL

ALIMENTAÇÃO DO ANDANTE DIGITAL

A alimentação é sem dúvida, o item mais importante, pois viabiliza termos uma vida balanceada e saudável. Vou fazer 6 refeições por dia, uma a aproximadamente a cada três horas, as três principais: pequeno almoço (café da manhã), almoço e jantar. Mais três complementares; lanche da manhã, lanche da tarde e ceia

Além dos insumos necessários para preparar as refeições, vamos precisar de alguns poucos utensílios (transportados na mochila de 30 litros). A ideia é usar a cozinha da casa em que vou alugar o quarto, para fazer quatro refeições e fazer o almoço em um restaurante ou um fornecedor de marmitas. Também o pequeno almoço (café da manhã) poderá ser feito em uma padaria. Estes utensílios são: 1 marmita metálica com tampa de pressão. 1 garfo, 1 faca e 1 colher), 1 canudo (com limpador metálico), 1 par de hashi (pauzinhos japoneses) todos de bambu, 1 saco de tecido para guardá-los e 1 garrafa de metal para todos os líquidos que consumo (água, leite e sucos) que serve também como copo. Como vou utilizar a cozinha da casa em que alugo o quarto, com a vantagem de não necessitar ter nenhum equipamento, como fogão, geladeira, etc. ou utensílios tipo panelas, facas e outros, para preparar as minhas refeições diárias. 

Fiz a opção pelo vegetarianismo, sem carne de qualquer espécie (branca ou vermelha), mas comendo proteína animal; ovos, leites, queijos, mel. Meu sonho é ser vegano, sem qualquer consumo de derivados animais. Além de conter a violência contra eles, faz muito bem para o planeta e para a nossa saúde.

Os nutricionistas recomendam seis refeições ao dia, aproximadamente de 3 em 3 horas. Nunca se esqueça de beber de 1,5 a 2 litros de água por dia, no mínimo.

Segue uma ideia dos alimentos que vou degustar nestas seis refeições diárias:

  1. 07h00 – Café da manhã (pequeno almoço): 1 copo de café puro, 1 fatia de pão integral, 1 fatia de queijo, 1 pote de iogurte natural com um punhado de nozes ou com granola com leite e 1 ovo.
  2. 10h00 – Lanche da manhã: 1 fruta da estação (laranja, bergamota, morango e acerola).
  3. 13h00 – Almoço: 1) Hortaliças (Verduras e Legumes) 50% do prato, Podem ser consumidas cruas, assadas, refogadas ou grelhadas. Alimentos desse grupo: cenoura, berinjela, abobrinha, tomate, folhas e brócolis. 2) Cereais e batatas 25% do prato. Algumas opções: Arroz, milho, quinoa e macarrão; 3) Leguminosas ou último 25% do prato. São as: Feijões, lentilhas, ervilhas, grão-de-bico, soja e tofu (queijo de soja).
  4. 16h00 – Lanche da tarde: 1 fatia de queijo com 2 bolachas.
  5. 19h00 – Jantar: Sopas, caldos e cremes com croûtons (pão torrado e cortado em pequenos cubos) e/ou queijo parmesão ralado.
  6. 22h00 – Ceia: Chá com 2 biscoitos.

Nota: Estou pensando em abrir mão do canudo (palhinha) de bambu, seu limpador metálico e os dois pauzinhos do hashi. Acredito que posso viver muito bem sem eles.

Voltaremos a falar sobre a alimentação apresentando receitas todas as semanas, nas próximas postagens.

Fontes e Imagens: Presunto Vegetariano, Receiteria