Sobre

ANDANTE E DIGITAL

A primeira maneira – Andante; é muito gira (legal), a mais radical das três, para solteiros(as) ou casais, será viver com apenas 2 mochilas e 60 itens, entre vestuário, equipamento e utensílios de trabalho e alimentação. Morar em uma barraca ou quarto alugado em uma casa, e poderá mudar-se, por exemplo, a cada três meses de cidade ou até de país. Trabalhar online ou presencial temporário.  

A segunda maneira – Imóvel; é para solteiros(as), casais com filhos pequenos e/ou filhos em idade escolar. Morar em uma mini casa mobiliada alugada e possuir poucos objetos pessoais, como os citados na primeira etapa. Um plano “B” interessante desta etapa é ter um carro com reboque e você mesmo levar a sua mudança, cada vez que mudar de cidade. Deverá ser muito bem planejado, para continuar dentro do espírito minimalista para ter o mínimo de objetos de casa. Esses objetos devem ser dimensionados para que possam ser todos transportados com segurança no reboque. Assim, quando formos “levantar acampamento”, nas férias escolares, uma vez por ano, no caso de ter filhos em idade escolar. O trabalho também é online ou presencial temporário.

A terceira maneira – Móvel; é em uma casa com rodas, uma van ou motor home, serve para todas categorias e idades de pessoas; solteiros, casados, com ou sem filhos (idade escolar ou não). Está, sem dúvida, que proporciona a maior mobilidade, principalmente para quem trabalha online. Os casais com filhos em idade escolar, têm que providenciar uma solução com ensino a distância.

Todas as três etapas com pequenos ajustes servem para todos em qualquer idade. Faço a primeira etapa e tenho 73 anos de idade.

Agora vou falar um pouco de mim, Carlos Alberto Pojo do Rego. Nasci em 1949, gaúcho, brasileiro e português. Feliz com a vida. Repórter fotográfico, estudante de comunicação e arquitetura, graduado em Turismo, pós graduado em Gerenciamento de Projetos (Lato Sensu) e Mestre em Ciências Ambientais (Stricto Sensu).

Morei no Brasil (RS, SP, DF, RJ e GO), na América do Norte (USA) e na Europa (França), a buscar sempre as pequenas cidades históricas, cheias de cultura e com aquele “agradável jeito lento de viver”.

Em 2010, mudei a minha vida, desapeguei de tudo que não usava e nem gostava: roupas desconfortáveis, utensílios domésticos, trabalho chato, status social, carros pretensiosos, cidade grande, alguns “amigos” e falsos amores. Desde então busco viver de uma maneira simples e com qualidade, apenas com bens essenciais e consumo mínimo de produtos e serviços. Passei a viver com apenas 50 itens.

Em 2021, botei o “pé na estrada” e comecei a viver integralmente como Andante Digital. Com meus 50 itens em 2 mochilas, um de 30 litros e outra de 50 litros, vim para o sul do Brasil. Vou trabalhar viajando alguns bicos presenciais, buscar ganhar dinheiro com meu blog e minha aposentadoria do INSS.

Compartilho aqui uma maneira de vida necessária à conservação da própria vida de uma maneira sustentável, tanto no físico como no mental.

Todos que querem ou já vivem assim. Sejam bem vindos!!!